quarta-feira, 30 de julho de 2014

Polícia Civil recebe veículo em reconhecimento aos trabalho de combate a roubo de cargas

Em reconhecimento do trabalho no combate de roubos a cargas, a empresa Souza Cruz doou um veículo à Polícia Civil do Maranhão, na manhã desta quarta-feira (30). O autmóvel, um Gol de cor branca, vai ficar à disposição do Departamento de Combate a Roubos de Cargas, ligado à Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic).
 A chave e a documentação do veículo foram entregues, na manhã desta quarta-feira (30), pelo gerente e pelo coordenador Territorial de Segurança Corporativa da Região Norte da empresa Souza Cruz, João Pimenta e Fernando Modesto, respectivamente. A entrega foi feita no gabinete da delegada geral de Polícia Civil do Maranhão, Maria Cristina Resende Meneses, na presença do subdelegado de Polícia Civil do Maranhão, Augusto Barros.

O gerente territorial, João Pimenta, destacou que a ação é consequência da redução dos assaltos à carga transportada pela empresa. “A doação do veículo é um reconhecimento do trabalho desenvolvido pela Polícia Civil do Maranhão, que reduziu drasticamente os assaltos nos últimos dois anos nas estradas do estado, e consequentemente, os prejuízos da empresa”, frisou o gerente.
O subdelegado geral de Polícia Civil, Augusto Barros, disse que é um fato inédito e é um reconhecimento de um bom trabalho. “A empresa tinha um prejuízo de R$ 200 mil com uma média de 8 assaltos por mês. O trabalho contínuo do Departamento de Combate a Roubos de Cargas, reduziu significativamente esse tipo de ocorrência”, destacou o subdelegado. 
Nesses dois anos, a Superintendência Estadual de Investigações Criminais intensificou as ações, que culminou com a desarticulação de várias quadrilhas de roubos a cargas. Além das prisões, mais de 30 assaltantes já foram identificados.

Etapa Estadual Infantil dos JEMs começa nesta quinta (31)

Tudo pronto para o início da maior competição estudantil do Maranhão. A partir desta quinta-feira (31), começam as disputas da Etapa Estadual Infantil dos Jogos Escolares Maranhenses (JEMs), competição promovida pela Secretaria de Estado do Esporte e Lazer (Sedel). Esta é a fase final dos jogos escolares e contará com a participação de instituições de ensino de todo o estado. As modalidades de futebol de campo, handebol e vôlei, abrem as disputas da categoria Infantil (de 12 a 14 anos) nesta quinta-feira a partir das 8h.
A Sedel confirmou os locais onde ocorrerão os jogos destas três primeiras modalidades. O Estádio Castelão receberá as partidas de futebol de campo, enquanto que o Ginásio Castelinho será palco dos confrontos de handebol. Já a competição de vôlei ocorrerá no Ginásio do Colégio Batista, no João Paulo.
Todas as equipes que estão na disputa desta fase final se classificaram ao longo do ano, após disputarem as etapas Metropolitana/Municipal e Regional. Ao todo, 118 equipes estão confirmadas na Etapa Estadual nas modalidades coletivas: basquete, beach soccer, futebol de campo, futsal, handebol e vôlei.
Em 2014, a Etapa Estadual dos JEMs foi dividida em três grupos. O primeiro grupo contará com as disputas de três modalidades coletivas (futebol de campo, handebol e vôlei), que prosseguem até a próxima terça-feira (5 de agosto), data em que serão conhecidos os campeões destes esportes na categoria Infantil.
Em seguida, entre os dias 7 e 9 de agosto, serão realizadas as disputas das modalidades individuais. Por fim, de 11 a 18 de agosto, ocorrem as disputas das modalidades coletivas restantes (basquete, beach soccer e futsal).

Congressos técnicos
Nessa quarta-feira (30), a Secretaria de Estado do Esporte e Lazer (Sedel) realizou os congressos técnicos das três modalidades coletivas que abrem as disputas dos JEMs a partir desta quinta-feira (31). Sob o comando do diretor-geral dos jogos escolares e secretário-adjunto da Sedel, Alim Maluf Neto, os congressos técnicos definiram os grupos e a tabelas do futebol de campo, handebol e vôlei.
No site da Sedel está disponível o boletim completo com todas as partidas que ocorrerão nos JEMs com seus respectivos horários. Para ter acesso ao documento, basta acessar o www.esporteelazer.ma.gov.br.
 Vale destacar que os campeões dos JEMs 2014 irão representar o Maranhão nos Jogos Escolares da Juventude. Este ano, a competição da categoria Infantil ocorrerá na cidade de Londrina, no Paraná.

JEMs 2014
A edição de 2014 dos Jogos Escolares Maranhenses (JEMs) sofreu uma pequena alteração no que diz respeito à sua fórmula de disputa. Neste ano, serão realizadas apenas três etapas (Metropolitana/Municipal, Regional e Estadual) e não mais quatro como nas edições anteriores.
Neste novo cenário, a Etapa Estadual das modalidades coletivas, será disputada com um número maior de equipes, classificadas após a realização das etapas anteriores: dezesseis no total. A primeira etapa dos JEMs classificará oito escolas da Região Metropolitana (São Luís, São José de Ribamar, Raposa e Paço do Lumiar) para a Etapa Estadual, sendo quatro escolas da rede pública e quatro da particular.
As outras oito vagas serão destinadas para equipes do interior do Estado, sendo que duas serão do campeão e do vice da fase municipal de Imperatriz. Os últimos representantes serão os campeões das seis etapas regionais, totalizando, assim, 16 escolas participando da Etapa Estadual.
A única exceção será na modalidade futsal, que contará com 20 equipes na Etapa Estadual dos JEMs 2014, sendo 12 classificadas na Etapa Metropolitana, duas classificadas na fase municipal de Imperatriz e os seis campeões regionais. 

EQUIPES CLASSIFICADAS PARA A ETAPA ESTADUAL INFANTIL
BASQUETE INFANTIL MASCULINO
Sesi
Dom Bosco
Upaon-Açu
Reino Infantil
O Bom Pastor
CEI-Provif
Crescimento
Literato
Marista Araçagy
Educator – Infantil e Fundamental
Dom Bosco (Imperatriz)
Santos Dumont (Imperatriz)
Ananias Murad (Codó)
Santa Terezinha (Imperatriz)

BASQUETE INFANTIL FEMININO
Sesi
Criamor
Reino Infantil
Santos Dumont (Imperatriz)
Santa Terezinha (Imperatriz)
COC (Imperatriz)

BEACH SOCCER INFANTIL MASCULINO
UEB. Gov. Leonel Brizolla
Liceu Ribamarense II
Giovanni Zanni (Imperatriz)
Costa e Silva (Imperatriz)
Cosme de Oliveira (Porto Rico do Maranhão)
Gardênia Ribeiro (São Domingos do Maranhão)
U.I. Buriticupu (Buriticupu)
Augusto Barros (São Mateus)
Mamoel José da Costa (Barreirinhas)

FUTEBOL INFANTIL MASCULINO
UEB. Antônio Vieira
U.E. Profª Anita Rocha
UEB. João de Sousa Guimarães
Escola Municipal Parque Vitória
Master
Sesi
Madalena de Canossa (Imperatriz)
Wady Fiquene (Imperatriz)
IEASC (Matinha)
Teresa Oliveira (Presidente Dutra)
Cegel (Mirador)
Julieta Quintal (Açailândia)
Remy Archer (Codó)
Gumercindo (Miranda do Norte)

FUTSAL INFANTIL MASCULINO
Santo Expedito
Dom Pedro II
O Bom Pastor
Sesi
Upaon-Açu
Instituto Farina
Militar Tiradentes I
Dom José Delgado
Antônio Jorge Dino
Militar 2 de Julho
Vinícius de Moraes
Antônio Ribeiro da Silva
Metropolitano Aliança (Imperatriz)
Maria das Neves (Imperatriz)
Colégio Pinheirense (Pinheiro)
Instituto Batista (Carutapera)
Zeca Branco (Pedreiras)
Divino Mestre (Açailândia)
Múltiplo (Timon)
Batista (Chapadinha)

FUTSAL INFANTIL FEMININO
Escola São José
UEB. João de Sousa Guimarães
Santa Teresa Dávila (Imperatriz)
Metropolitano Aliança (Imperatriz)
Des. Sipaúba da Rocha (Pastos Bons)
Santa Lúcia (São Domingos do Maranhão)
Nicolau Dino (João Lisboa)
Antenor Junior (Açailândia)
Salim (Vargem Grande)

HANDEBOL INFANTIL MASCULINO
São Francisco de Assis
Upaon-Açu
Marista
Raimundo Corrêa
UEB. Primavera
Barbosa de Godóis
UEB. Santa Clara
Batista Ludovicense
Santa Luzia (Imperatriz)
CEB (Imperatriz)
IEASC (Matinha)
Batista (Codó)

HANDEBOL INFANTIL FEMININO
Cefran
Batista DLT
São Francisco de Assis
Batista Ludovicense
Militar Tirdentes I
Barbosa de Godóis
UEB. Primavera
Cebama (Imperatriz)
CEB (Imperatriz)
Agostinho Ramanlho (Pinheiro)
Menino Jesus (Buriti Bravo)
Castelo do Saber (Imperatriz)
Manoel Alves de Abreu (Bacabal)
Socorro Gonçalves (Barreirinhas)

VÔLEI INFANTIL MASCULINO

Upaon-Açu
Sesi
Batista DLT
Launé Rodrigues
Peniel (Imperatriz)
Dom Bosco (Imperatriz)
Frederico Figueira (Barra do Corda)
José Sarney (Timon)
Roseana Sarney (Açailândia)

VÔLEI INFANTIL FEMININO
Crescimento
Divina Pastora
Reino Infantil
Colégio Figueiredo E.F.
Upaon-Açu
Sesi
Literato
Dom Bosco (Imperatriz)
CEB (Imperatriz)
E.M. Camilo (Codó)
Adonai-COC (Açailândia)

PM recupera moto roubada e prende dois no Alto do Turu

Uma ação do Serviço de Inteligência da Polícia Militar resultou nesta quarta-feira (30), na prisão de dois indivíduos identificados como Alisson Bruno de Sousa, 19 anos, e Daniel Nogueira Moreira, 21 anos, suspeitos de roubar uma motocicleta, na Cidade Olímpica. Eles foram detidos no bairro do Alto do Turu.
Segundo informações policiais, os elementos foram presos em uma via pública, naquele bairro, após informações do Disque-Denúncia (3223-5800), que delatou o esconderijo dos criminosos.
De acordo com o delegado titular da Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos (DRFV), Paulo Hertel, na última sexta-feira (25), dupla tomou de assalto uma motocicleta Honda CG FAN 150, de cor roxa, de placas NXT-2249, no bairro da Cidade Olímpica.
Conforme explicou Paulo Hertel, Alisson é foragido do Complexo Penitenciário de Pedrinhas desde o ano de 2013, onde cumpria pena pelo crime de homicídio. A PM apreendeu com os dois suspeitos um revólver de calibre 38, com a numeração raspada, seis munições e a motocicleta.
Bruno e Alisson foram encaminhados para a sede da DRFV, onde foram autuados pelos crimes de porte ilegal de arma de fogo e roubo qualificado. Após os procedimentos policiais foram recambiados para o Centro de Triagem de Pedrinhas.

Governadora vistoria obras da MA-034 e autoriza asfalto em via urbana de Matões

Depois de Timon, a governadora Roseana Sarney foi a Matões, onde vistoriou as obras de construção da MA-034, rodovia que interliga o município ao povoado Baú, em Caxias. Acompanhada do secretário de Estado de Infraestrutura, José Raimundo Frazão, ela percorreu os 10 quilômetros já executados do serviço e também assinou ordem de serviço para a pavimentação de 1,5Km da avenida que é o prosseguimento da rodovia, já dentro da área urbana de Matões.
“Eu vim acompanhar o andamento dessa obra que vai melhorar a vida dos moradores de Matões, facilitando e tornando mais ágil a locomoção de todos. Sei que esse já era um anseio antigo da população, e nós não fazemos diferença entre as cidades, o nosso objetivo é dar conforto e qualidade de vida aos maranhenses de todas as cidades”, afirmou a governadora.
A obra  faz parte do programa do Governo do Estado cuja meta é ligar todas as sedes municipais a uma MA ou BR. Ao todo, o investimento é da ordem de R$ 30 milhões, contemplando 71,5 km.
Além disso, em Matões, o governo também autorizou a  execução de serviços de asfaltamento de 4 km de vias urbanas nos bairros Alto da Siriema e Lagoa. A obra beneficia 29.969 moradores.
“Nós estamos trabalhando para dar mais conforto à população de Matões. A obra na MA-034 deve ser finalizada até o mês de dezembro, estamos fazendo um trabalho cuidadoso de terraplanagem, asfaltamento, colocação de meio fio e, por último, a sinalização”, destacou o secretário José Raimundo Frazão. Também presentes ao ato o secretário de Estado de Articulação Política, Rodrigo Valente; o chefe do Gabinete Militar, coronel José de Ribamar Vieira; e a prefeita de Matões, Suely Pereira, além de lideranças políticas e comunitárias do município.
Para a população matoense, o asfalto vai facilitar o escoamento da produção e agilizar o transporte. Quem trabalha no local também agradece a iniciativa que garantirá melhorias na rotina de trabalho.
“Sou motorista e passo constantemente pelo povoado Baú, já gastei muito tempo nesse trajeto. Com o início das obras já conseguimos chegar mais rápido em Caxias. Tenho certeza que com a finalização as coisas vão melhorar muito mais", comemorou o motorista. Francisco Santos, que é morador de Matões.

domingo, 27 de julho de 2014

Bomba "Bonde dos 40 mando o “papo reto” para Roseana dentro de Pedrinhas"

Um vídeo gravado dentro do Complexo Penitenciário de Pedrinhas, em São Luís, mostra membros da facção denominada como “Bonde dos 40″ mandando o “papo reto” para a governadora do Maranhão, Roseana Sarney (PMDB).
Os integrantes cantam um rap em que culpam Roseana pelo caos no Estado e dizem que ela “só passeia e não investe na juventude”.

Fica aqui uma pergunta ( quem tem Razão )?

Coordenadores da campanha de Edinho Lobão são malvistos pela classe política

Advogados Márcio Coutinho e Gilson Barros
Advogados Márcio Coutinho e Gilson Barros
Os dois principais coordenadores da campanha de governo de Edinho Lobão, são malvistos pela classe política e por maioria dos aliados.
Os advogados Márcio Coutinho e Gilson Barros não têm uma referência por parte dos prefeitos que já precisaram dos seus “serviços”. E isso é dito pelos próprios políticos ligados à Edinho.
Coutinho é visto como uma pessoa maquiavélica (que age de forma pragmática, não se importando com os meios desde que seu objetivo possa ser alcançado). Passou pela Secretaria de Articulação Política e deixou um rastro de escândalo, destinando diárias para cunhada e pressionando prefeitos e lideranças políticas à votarem no seu candidato a deputado federal. Roseana não aguentou tanta reclamação dos aliados e acabou exonerando o advogado da pasta.
Gilson Barros, esse nem se fala. Basta perguntar para alguns prefeitos, que a pessoa fica sabendo da ficha corrida do advogado. No meio político, é considerado como um dos maiores lobistas do Estado e especialista em enganar prefeitos, cobrando alto por um serviço que não consegue solucionar. Adquiriu uma fortuna não se sabe como. Por isso, não tem uma boa reputação na classe política.
O pior de tudo é que Edinho Lobão escolheu esses advogados para, além de serem coordenadores de campanha, também fazerem o papel de articulador político, especialmente entre prefeitos e ex-prefeitos do Maranhão.
Pode!?

Bomba, Bomba e Bomba! Sarney Filho vai ficar sem mandato

Os dois únicos candidatos à deputado federal pelo Partido Verde (PV) no Maranhão, parlamentares Sarney Filho e Victor Mendes, poderão não disputar a eleição agora em 2014.
Sarney Filho preocupado com o desemprego à vista
Sarney Filho preocupado com o desemprego à vista
Ocorre, que na entrega da ata ao Tribunal Regional Eleitoral, houve um equívoco no registro da chapa majoritária do partido.
O candidato ao Senado Federal pelo PV, Washington Rio Branco, registrou sua candidatura separado. E na ata levou os dois postulantes a Câmara Alta do país pelo Maranhão. Sendo assim, o partido ficou coligado ao “chapão” apenas para deputado estadual. E nada mais.
Com dois candidatos, o PV terá que fazer 360 mil votos para eleger Sarney Filho e Victor Mendes. E o que é pior: os dois juntos não atingem a 180 mil votos (números exigidos para eleger apenas um).
Victor Mendes já avisou que vai desistir da candidatura. O que torna mais complicada a situação do irmão da governadora Roseana Sarney.
Por conta disso, Sarney Filho já contratou as melhores bancadas advocatícias para tentar reverter a sua difícil situação. E no TRE ninguém acredita na mudança da Lei; até porque viraria uma piada só para atender o filho do senador José Sarney.
Depois de exercer dois mandatos de deputado estadual, cinco de federal e ocupar o Ministério do Meio Ambiente no Governo FHC (Fernando Henrique Cardoso), Sarney Filho será mais um membro da família desempregado a partir de 2015.

A campanha eleitoral e o risco de vida

Não é de hoje que se ouve dos candidatos a deputado federal e estadual lamentos da vida que levam nas estradas do Maranhão em busca de mandatos eletivos.
São rotinas estafantes, com viagens, geralmente de carro, em busca do voto nos mais longínquos municípios maranhenses. Isso sem falar na cansativa viagem de ida e volta a Brasília, no caso dos já detentores de mandato.
E essa correria desenfreada pelo voto – ou mesmo pela visita às bases, nas épocas sem eleição – são fatores de alto risco para acidentes, aéreos ou terrestres.
Os deputados estaduais Rubens Júnior e Eliziane Gama – ambos em busca de mandato na Câmara Federal – sofreram as consequências desta rotina neste fim de semana.
Na noite de sábado, Eliziane bateu a caminhonete em que viajava na região entre os municípios de passagem Franca e Buriti Bravo.
Hoje pela manhã, Rubens Júnior também envolveu-se em acidente, nas proximidades de Caxias.
Apesar de pouca divulgação na mídia, são mais comuns do que se pensam os acidentes envolvendo políticos em busca de votos nas estradas – e nos ares do Maranhão.
Em 1995, três deputados estaduais morreram na queda do avião em que seguiam para o interior.
Em 2011, poucos meses após assumir mandato, o deputado federal Luciano Moreira (PMDB) morreu em acidente de carro na estrada de Barreirinhas.
Entre os dois casos, vários outros se sucederam, com destaque para a morte dos prefeitos de Morros, Clóvis Bacelar, e de Zé Doca, Silas Cavalcante, nas estradas a caminho de São Luís.
Também candidato a deputado estadual, Adriano Sarney sofreu acidente de avião no início do ano, mas conseguiu escapar sem ferimentos.
A própria Eliziane Gama perdeu uma assessora, em acidente  de carro, há dois anos.
A rotina de campanha para deputados estaduais, federais, e até candidatos a senador e a governador é tensa e estafante.

Fonte: Marco D"erça

Empresa de eventos leva mais de R$ 1 milhão da Prefeitura de Raposa

‘Serviços de eventos’. Esses trabalhos estão custando caro aos cofres da Prefeitura de Raposa. Aliás, os gestores de municípios maranhenses estão ‘investindo’ cada dia mais em serviços prestados e algumas empresas vão se dando bem com os valores milionários que recebem.
Num contrato firmado entre a referida prefeitura e a empresa F.M. da Silva Neto-ME, com sede localizada em São Luís, saíram das contas públicas a quantia de R$ 1.062.910,00 (Um milhão, sessenta e dois mil, novecentos de dez reais) dividido em doze parcelas de quase R$ 90 mil, um bom dinheiro a ser gasto em eventos.
O contrato milionário com o aval do perfeito de Raposa, Clodomir de Oliveira Santos (PRTB) foi publicado no Diário Oficial do Estado do Maranhão no dia 14 de Julho de 2014, quatro dias após assinatura entre as partes. Veja o extrato do contrato abaixo.

sábado, 26 de julho de 2014

Eliziane Gama sofre grave acidente em Buriti Bravo, mas passa bem

A deputada estadual Eliziane Gama (PPS) escapou por pouco de um grave acidente, agora à noite, no município de Buriti Bravo.
Ela estava com o motorista e dois assessores, quando o veículo caiu numa ribanceira, dentro de um riacho. Gama é candidata a deputada federal nas eleições deste ano.
A popular-socialista chegou a ficar presa dentro do carro por alguns instantes. Mas foi socorrida, assim como todos os seus acompanhantes.
Ao conversar com o titular do blog, Gama ainda estava bastante abalada.
“Eu pensei que eu ia morrer”, disse, chorando e relatando fortes dores no pescoço.
A parlamentar e os assessores envolvidos no acidente foram socorridos e levados a um hospital de Buriti Bravo. Segundo ela, um dos assessores está em estado grave.

Fraude: mulher descobre que é beneficiária do Bolsa Família desde 2006 e tem 9 filhos

Celma Gonzaga descobre fraude no Bolsa Família de Codó
Celma Gonzaga descobre fraude no Bolsa Família de Codó
Os indícios de fraude no Programa Bolsa Família em Codó tem se tornado cada vez mais recorrentes. O programa do Governo Federal destinado a famílias de baixa renda com pessoas ainda em idade escolar há algum tempo é alvo de reclamação por parte dos beneficiários no município. O atual gestor do Programa, Edivaldo Alves Júnior, informou que desde que assumiu o comando do Bolsa Família, em fevereiro de 2014, tem levado ao conhecimento das autoridades, sobretudo da Polícia Civil de Codó, casos de beneficiários que apresentam irregularidades onde famílias são cadastradas, mas o cartão de saque do beneficio acabam caindo nas mãos de terceiros.
O caso mais recente, descoberto esta semana chama ainda mais atenção. Há indício de fraude na execução do programa em Codó. A situação, apesar de está sob investigação policial, ficou mais evidente depois que a técnica em enfermagem, Francisca Celma Santana Gonzaga descobriu que estava cadastrada no programa desde o ano de 2006 e no ano passado teve os dados cadastrais atualizados na Secretaria de Assistência Social, onde segundo ela, nunca esteve.
“Fizeram no ano passado, não sei como, mas fizeram, eu acho que deve ter alguém lá de dentro da Ação Social, né? Com certeza, porque eu não apareci lá, não levei documentação e tá atualizado. E esses dados estão corretos? Corretíssimos. Data de nascimento, nome do meu pai, da minha mãe, das minhas filhas, endereço, tudo! Tudo“, disse Celma
Celma estava morando no Estado do Pará e retornou recentemente para a casa dos pais em Codó, depois de ter sido dispensada do serviço que prestava como técnica em enfermagem em Tucuruí. Em Codó, ela resolveu dá entrada no processo de requisição do Seguro Desemprego e ao solicitar o Cartão Cidadão, da Caixa Econômica teve a grande surpresa.
“Eu fui fazer a solicitação de um cartão cidadão para receber minhas parcelas do seguro desemprego, no momento em que eu estava fazendo essa solicitação a moça me informou que eu poderia ta sacando essas parcelas pelo cartão Bolsa Família que seria a mesma coisa. Eu falei pra ela que não, que eu não participava do programa e ela disse que sim que eu estava cadastrada e que estava atualizado e inclusive o pagamento seria no dia 23, que foi no dia 22 que eu fiz a solicitação”, disse.
Outro detalhe é que o Governo estava depositando mensalmente o valor de R$ 706,00 referente ao pagamento do benefício onde constam nove pessoas representadas por ela. Celma revelou que duas são suas filhas, mas os demais que aparecem como parentes, ela nunca viu nem tem informação de quem sejam.
“No cadastro tem duas pessoas que é minhas filhas mesmo que já são até de maior que são as duas primeiras Beatriz e Alana são minhas filhas, os outros demais eu não conheço, não é ninguém da minha família, nunca nem tinha visto falar no nome. Eu me assustei, eu passei até mal na hora que eu recebi essa noticia, por que quem que ta recebendo esse dinheiro? Tem alguém recebendo, com certeza“, revelou.
Como não havia nada que a impedisse de sacar a parcela de julho/2014, Celma foi à Caixa Econômica e a gerente a orientou a retirar o dinheiro e em seguida, cancelou o cartão já que a mesma não tem filhos em idade de cobertura pelo Bolsa Família. Na Agência da Caixa, a gerente Maisa, não quis dá esclarecimentos à imprensa sobre o caso. Na delegacia, o delegado Zilmar Santa, responsável pela investigação falou que a Polícia Civil vai trabalhar para identificar os autores da fraude.
“A polícia iniciou uma investigação a pá dos dados fornecidos pela vítima e de outros obtidos junto ao gestor do Bolsa Família aqui no município. é uma investigação trabalhosa, mas nós acreditamos que chegaremos à autoria do fato. A gente tem primeiramente que coletar esses dados tanto bancário, quanto do gestor pra daí iniciar uma investigação e pra identificação dos autores dessa fraude“, disse Zilmar.
O delegado, assim como o gestor do programa, informou que casos semelhantes já estão sendo investigados pela Polícia. “Essa é uma fraude que temos notícia que ocasionalmente vem correndo aqui no município, a fraude constituindo a inserção de dados falsos no sistema do Bolsa Família. Não é apenas uma apropriação do cartão, mas sim, a criação de um cadastro com dados falsos“, concluiu o delegado.

Fraude: mulher descobre que é beneficiária do Bolsa Família desde 2006 e tem 9 filhos

Celma Gonzaga descobre fraude no Bolsa Família de Codó
Celma Gonzaga descobre fraude no Bolsa Família de Codó
Os indícios de fraude no Programa Bolsa Família em Codó tem se tornado cada vez mais recorrentes. O programa do Governo Federal destinado a famílias de baixa renda com pessoas ainda em idade escolar há algum tempo é alvo de reclamação por parte dos beneficiários no município. O atual gestor do Programa, Edivaldo Alves Júnior, informou que desde que assumiu o comando do Bolsa Família, em fevereiro de 2014, tem levado ao conhecimento das autoridades, sobretudo da Polícia Civil de Codó, casos de beneficiários que apresentam irregularidades onde famílias são cadastradas, mas o cartão de saque do beneficio acabam caindo nas mãos de terceiros.
O caso mais recente, descoberto esta semana chama ainda mais atenção. Há indício de fraude na execução do programa em Codó. A situação, apesar de está sob investigação policial, ficou mais evidente depois que a técnica em enfermagem, Francisca Celma Santana Gonzaga descobriu que estava cadastrada no programa desde o ano de 2006 e no ano passado teve os dados cadastrais atualizados na Secretaria de Assistência Social, onde segundo ela, nunca esteve.
“Fizeram no ano passado, não sei como, mas fizeram, eu acho que deve ter alguém lá de dentro da Ação Social, né? Com certeza, porque eu não apareci lá, não levei documentação e tá atualizado. E esses dados estão corretos? Corretíssimos. Data de nascimento, nome do meu pai, da minha mãe, das minhas filhas, endereço, tudo! Tudo“, disse Celma
Celma estava morando no Estado do Pará e retornou recentemente para a casa dos pais em Codó, depois de ter sido dispensada do serviço que prestava como técnica em enfermagem em Tucuruí. Em Codó, ela resolveu dá entrada no processo de requisição do Seguro Desemprego e ao solicitar o Cartão Cidadão, da Caixa Econômica teve a grande surpresa.
“Eu fui fazer a solicitação de um cartão cidadão para receber minhas parcelas do seguro desemprego, no momento em que eu estava fazendo essa solicitação a moça me informou que eu poderia ta sacando essas parcelas pelo cartão Bolsa Família que seria a mesma coisa. Eu falei pra ela que não, que eu não participava do programa e ela disse que sim que eu estava cadastrada e que estava atualizado e inclusive o pagamento seria no dia 23, que foi no dia 22 que eu fiz a solicitação”, disse.
Outro detalhe é que o Governo estava depositando mensalmente o valor de R$ 706,00 referente ao pagamento do benefício onde constam nove pessoas representadas por ela. Celma revelou que duas são suas filhas, mas os demais que aparecem como parentes, ela nunca viu nem tem informação de quem sejam.
“No cadastro tem duas pessoas que é minhas filhas mesmo que já são até de maior que são as duas primeiras Beatriz e Alana são minhas filhas, os outros demais eu não conheço, não é ninguém da minha família, nunca nem tinha visto falar no nome. Eu me assustei, eu passei até mal na hora que eu recebi essa noticia, por que quem que ta recebendo esse dinheiro? Tem alguém recebendo, com certeza“, revelou.
Como não havia nada que a impedisse de sacar a parcela de julho/2014, Celma foi à Caixa Econômica e a gerente a orientou a retirar o dinheiro e em seguida, cancelou o cartão já que a mesma não tem filhos em idade de cobertura pelo Bolsa Família. Na Agência da Caixa, a gerente Maisa, não quis dá esclarecimentos à imprensa sobre o caso. Na delegacia, o delegado Zilmar Santa, responsável pela investigação falou que a Polícia Civil vai trabalhar para identificar os autores da fraude.
“A polícia iniciou uma investigação a pá dos dados fornecidos pela vítima e de outros obtidos junto ao gestor do Bolsa Família aqui no município. é uma investigação trabalhosa, mas nós acreditamos que chegaremos à autoria do fato. A gente tem primeiramente que coletar esses dados tanto bancário, quanto do gestor pra daí iniciar uma investigação e pra identificação dos autores dessa fraude“, disse Zilmar.
O delegado, assim como o gestor do programa, informou que casos semelhantes já estão sendo investigados pela Polícia. “Essa é uma fraude que temos notícia que ocasionalmente vem correndo aqui no município, a fraude constituindo a inserção de dados falsos no sistema do Bolsa Família. Não é apenas uma apropriação do cartão, mas sim, a criação de um cadastro com dados falsos“, concluiu o delegado.

Fraude: mulher descobre que é beneficiária do Bolsa Família desde 2006 e tem 9 filhos

Celma Gonzaga descobre fraude no Bolsa Família de Codó
Celma Gonzaga descobre fraude no Bolsa Família de Codó
Os indícios de fraude no Programa Bolsa Família em Codó tem se tornado cada vez mais recorrentes. O programa do Governo Federal destinado a famílias de baixa renda com pessoas ainda em idade escolar há algum tempo é alvo de reclamação por parte dos beneficiários no município. O atual gestor do Programa, Edivaldo Alves Júnior, informou que desde que assumiu o comando do Bolsa Família, em fevereiro de 2014, tem levado ao conhecimento das autoridades, sobretudo da Polícia Civil de Codó, casos de beneficiários que apresentam irregularidades onde famílias são cadastradas, mas o cartão de saque do beneficio acabam caindo nas mãos de terceiros.
O caso mais recente, descoberto esta semana chama ainda mais atenção. Há indício de fraude na execução do programa em Codó. A situação, apesar de está sob investigação policial, ficou mais evidente depois que a técnica em enfermagem, Francisca Celma Santana Gonzaga descobriu que estava cadastrada no programa desde o ano de 2006 e no ano passado teve os dados cadastrais atualizados na Secretaria de Assistência Social, onde segundo ela, nunca esteve.
“Fizeram no ano passado, não sei como, mas fizeram, eu acho que deve ter alguém lá de dentro da Ação Social, né? Com certeza, porque eu não apareci lá, não levei documentação e tá atualizado. E esses dados estão corretos? Corretíssimos. Data de nascimento, nome do meu pai, da minha mãe, das minhas filhas, endereço, tudo! Tudo“, disse Celma
Celma estava morando no Estado do Pará e retornou recentemente para a casa dos pais em Codó, depois de ter sido dispensada do serviço que prestava como técnica em enfermagem em Tucuruí. Em Codó, ela resolveu dá entrada no processo de requisição do Seguro Desemprego e ao solicitar o Cartão Cidadão, da Caixa Econômica teve a grande surpresa.
“Eu fui fazer a solicitação de um cartão cidadão para receber minhas parcelas do seguro desemprego, no momento em que eu estava fazendo essa solicitação a moça me informou que eu poderia ta sacando essas parcelas pelo cartão Bolsa Família que seria a mesma coisa. Eu falei pra ela que não, que eu não participava do programa e ela disse que sim que eu estava cadastrada e que estava atualizado e inclusive o pagamento seria no dia 23, que foi no dia 22 que eu fiz a solicitação”, disse.
Outro detalhe é que o Governo estava depositando mensalmente o valor de R$ 706,00 referente ao pagamento do benefício onde constam nove pessoas representadas por ela. Celma revelou que duas são suas filhas, mas os demais que aparecem como parentes, ela nunca viu nem tem informação de quem sejam.
“No cadastro tem duas pessoas que é minhas filhas mesmo que já são até de maior que são as duas primeiras Beatriz e Alana são minhas filhas, os outros demais eu não conheço, não é ninguém da minha família, nunca nem tinha visto falar no nome. Eu me assustei, eu passei até mal na hora que eu recebi essa noticia, por que quem que ta recebendo esse dinheiro? Tem alguém recebendo, com certeza“, revelou.
Como não havia nada que a impedisse de sacar a parcela de julho/2014, Celma foi à Caixa Econômica e a gerente a orientou a retirar o dinheiro e em seguida, cancelou o cartão já que a mesma não tem filhos em idade de cobertura pelo Bolsa Família. Na Agência da Caixa, a gerente Maisa, não quis dá esclarecimentos à imprensa sobre o caso. Na delegacia, o delegado Zilmar Santa, responsável pela investigação falou que a Polícia Civil vai trabalhar para identificar os autores da fraude.
“A polícia iniciou uma investigação a pá dos dados fornecidos pela vítima e de outros obtidos junto ao gestor do Bolsa Família aqui no município. é uma investigação trabalhosa, mas nós acreditamos que chegaremos à autoria do fato. A gente tem primeiramente que coletar esses dados tanto bancário, quanto do gestor pra daí iniciar uma investigação e pra identificação dos autores dessa fraude“, disse Zilmar.
O delegado, assim como o gestor do programa, informou que casos semelhantes já estão sendo investigados pela Polícia. “Essa é uma fraude que temos notícia que ocasionalmente vem correndo aqui no município, a fraude constituindo a inserção de dados falsos no sistema do Bolsa Família. Não é apenas uma apropriação do cartão, mas sim, a criação de um cadastro com dados falsos“, concluiu o delegado.

Fraude: mulher descobre que é beneficiária do Bolsa Família desde 2006 e tem 9 filhos

Celma Gonzaga descobre fraude no Bolsa Família de Codó
Celma Gonzaga descobre fraude no Bolsa Família de Codó
Os indícios de fraude no Programa Bolsa Família em Codó tem se tornado cada vez mais recorrentes. O programa do Governo Federal destinado a famílias de baixa renda com pessoas ainda em idade escolar há algum tempo é alvo de reclamação por parte dos beneficiários no município. O atual gestor do Programa, Edivaldo Alves Júnior, informou que desde que assumiu o comando do Bolsa Família, em fevereiro de 2014, tem levado ao conhecimento das autoridades, sobretudo da Polícia Civil de Codó, casos de beneficiários que apresentam irregularidades onde famílias são cadastradas, mas o cartão de saque do beneficio acabam caindo nas mãos de terceiros.
O caso mais recente, descoberto esta semana chama ainda mais atenção. Há indício de fraude na execução do programa em Codó. A situação, apesar de está sob investigação policial, ficou mais evidente depois que a técnica em enfermagem, Francisca Celma Santana Gonzaga descobriu que estava cadastrada no programa desde o ano de 2006 e no ano passado teve os dados cadastrais atualizados na Secretaria de Assistência Social, onde segundo ela, nunca esteve.
“Fizeram no ano passado, não sei como, mas fizeram, eu acho que deve ter alguém lá de dentro da Ação Social, né? Com certeza, porque eu não apareci lá, não levei documentação e tá atualizado. E esses dados estão corretos? Corretíssimos. Data de nascimento, nome do meu pai, da minha mãe, das minhas filhas, endereço, tudo! Tudo“, disse Celma
Celma estava morando no Estado do Pará e retornou recentemente para a casa dos pais em Codó, depois de ter sido dispensada do serviço que prestava como técnica em enfermagem em Tucuruí. Em Codó, ela resolveu dá entrada no processo de requisição do Seguro Desemprego e ao solicitar o Cartão Cidadão, da Caixa Econômica teve a grande surpresa.
“Eu fui fazer a solicitação de um cartão cidadão para receber minhas parcelas do seguro desemprego, no momento em que eu estava fazendo essa solicitação a moça me informou que eu poderia ta sacando essas parcelas pelo cartão Bolsa Família que seria a mesma coisa. Eu falei pra ela que não, que eu não participava do programa e ela disse que sim que eu estava cadastrada e que estava atualizado e inclusive o pagamento seria no dia 23, que foi no dia 22 que eu fiz a solicitação”, disse.
Outro detalhe é que o Governo estava depositando mensalmente o valor de R$ 706,00 referente ao pagamento do benefício onde constam nove pessoas representadas por ela. Celma revelou que duas são suas filhas, mas os demais que aparecem como parentes, ela nunca viu nem tem informação de quem sejam.
“No cadastro tem duas pessoas que é minhas filhas mesmo que já são até de maior que são as duas primeiras Beatriz e Alana são minhas filhas, os outros demais eu não conheço, não é ninguém da minha família, nunca nem tinha visto falar no nome. Eu me assustei, eu passei até mal na hora que eu recebi essa noticia, por que quem que ta recebendo esse dinheiro? Tem alguém recebendo, com certeza“, revelou.
Como não havia nada que a impedisse de sacar a parcela de julho/2014, Celma foi à Caixa Econômica e a gerente a orientou a retirar o dinheiro e em seguida, cancelou o cartão já que a mesma não tem filhos em idade de cobertura pelo Bolsa Família. Na Agência da Caixa, a gerente Maisa, não quis dá esclarecimentos à imprensa sobre o caso. Na delegacia, o delegado Zilmar Santa, responsável pela investigação falou que a Polícia Civil vai trabalhar para identificar os autores da fraude.
“A polícia iniciou uma investigação a pá dos dados fornecidos pela vítima e de outros obtidos junto ao gestor do Bolsa Família aqui no município. é uma investigação trabalhosa, mas nós acreditamos que chegaremos à autoria do fato. A gente tem primeiramente que coletar esses dados tanto bancário, quanto do gestor pra daí iniciar uma investigação e pra identificação dos autores dessa fraude“, disse Zilmar.
O delegado, assim como o gestor do programa, informou que casos semelhantes já estão sendo investigados pela Polícia. “Essa é uma fraude que temos notícia que ocasionalmente vem correndo aqui no município, a fraude constituindo a inserção de dados falsos no sistema do Bolsa Família. Não é apenas uma apropriação do cartão, mas sim, a criação de um cadastro com dados falsos“, concluiu o delegado.

Fraude: mulher descobre que é beneficiária do Bolsa Família desde 2006 e tem 9 filhos

Celma Gonzaga descobre fraude no Bolsa Família de Codó
Celma Gonzaga descobre fraude no Bolsa Família de Codó
Os indícios de fraude no Programa Bolsa Família em Codó tem se tornado cada vez mais recorrentes. O programa do Governo Federal destinado a famílias de baixa renda com pessoas ainda em idade escolar há algum tempo é alvo de reclamação por parte dos beneficiários no município. O atual gestor do Programa, Edivaldo Alves Júnior, informou que desde que assumiu o comando do Bolsa Família, em fevereiro de 2014, tem levado ao conhecimento das autoridades, sobretudo da Polícia Civil de Codó, casos de beneficiários que apresentam irregularidades onde famílias são cadastradas, mas o cartão de saque do beneficio acabam caindo nas mãos de terceiros.
O caso mais recente, descoberto esta semana chama ainda mais atenção. Há indício de fraude na execução do programa em Codó. A situação, apesar de está sob investigação policial, ficou mais evidente depois que a técnica em enfermagem, Francisca Celma Santana Gonzaga descobriu que estava cadastrada no programa desde o ano de 2006 e no ano passado teve os dados cadastrais atualizados na Secretaria de Assistência Social, onde segundo ela, nunca esteve.
“Fizeram no ano passado, não sei como, mas fizeram, eu acho que deve ter alguém lá de dentro da Ação Social, né? Com certeza, porque eu não apareci lá, não levei documentação e tá atualizado. E esses dados estão corretos? Corretíssimos. Data de nascimento, nome do meu pai, da minha mãe, das minhas filhas, endereço, tudo! Tudo“, disse Celma
Celma estava morando no Estado do Pará e retornou recentemente para a casa dos pais em Codó, depois de ter sido dispensada do serviço que prestava como técnica em enfermagem em Tucuruí. Em Codó, ela resolveu dá entrada no processo de requisição do Seguro Desemprego e ao solicitar o Cartão Cidadão, da Caixa Econômica teve a grande surpresa.
“Eu fui fazer a solicitação de um cartão cidadão para receber minhas parcelas do seguro desemprego, no momento em que eu estava fazendo essa solicitação a moça me informou que eu poderia ta sacando essas parcelas pelo cartão Bolsa Família que seria a mesma coisa. Eu falei pra ela que não, que eu não participava do programa e ela disse que sim que eu estava cadastrada e que estava atualizado e inclusive o pagamento seria no dia 23, que foi no dia 22 que eu fiz a solicitação”, disse.
Outro detalhe é que o Governo estava depositando mensalmente o valor de R$ 706,00 referente ao pagamento do benefício onde constam nove pessoas representadas por ela. Celma revelou que duas são suas filhas, mas os demais que aparecem como parentes, ela nunca viu nem tem informação de quem sejam.
“No cadastro tem duas pessoas que é minhas filhas mesmo que já são até de maior que são as duas primeiras Beatriz e Alana são minhas filhas, os outros demais eu não conheço, não é ninguém da minha família, nunca nem tinha visto falar no nome. Eu me assustei, eu passei até mal na hora que eu recebi essa noticia, por que quem que ta recebendo esse dinheiro? Tem alguém recebendo, com certeza“, revelou.
Como não havia nada que a impedisse de sacar a parcela de julho/2014, Celma foi à Caixa Econômica e a gerente a orientou a retirar o dinheiro e em seguida, cancelou o cartão já que a mesma não tem filhos em idade de cobertura pelo Bolsa Família. Na Agência da Caixa, a gerente Maisa, não quis dá esclarecimentos à imprensa sobre o caso. Na delegacia, o delegado Zilmar Santa, responsável pela investigação falou que a Polícia Civil vai trabalhar para identificar os autores da fraude.
“A polícia iniciou uma investigação a pá dos dados fornecidos pela vítima e de outros obtidos junto ao gestor do Bolsa Família aqui no município. é uma investigação trabalhosa, mas nós acreditamos que chegaremos à autoria do fato. A gente tem primeiramente que coletar esses dados tanto bancário, quanto do gestor pra daí iniciar uma investigação e pra identificação dos autores dessa fraude“, disse Zilmar.
O delegado, assim como o gestor do programa, informou que casos semelhantes já estão sendo investigados pela Polícia. “Essa é uma fraude que temos notícia que ocasionalmente vem correndo aqui no município, a fraude constituindo a inserção de dados falsos no sistema do Bolsa Família. Não é apenas uma apropriação do cartão, mas sim, a criação de um cadastro com dados falsos“, concluiu o delegado.

Fraude: mulher descobre que é beneficiária do Bolsa Família desde 2006 e tem 9 filhos

Celma Gonzaga descobre fraude no Bolsa Família de Codó
Celma Gonzaga descobre fraude no Bolsa Família de Codó
Os indícios de fraude no Programa Bolsa Família em Codó tem se tornado cada vez mais recorrentes. O programa do Governo Federal destinado a famílias de baixa renda com pessoas ainda em idade escolar há algum tempo é alvo de reclamação por parte dos beneficiários no município. O atual gestor do Programa, Edivaldo Alves Júnior, informou que desde que assumiu o comando do Bolsa Família, em fevereiro de 2014, tem levado ao conhecimento das autoridades, sobretudo da Polícia Civil de Codó, casos de beneficiários que apresentam irregularidades onde famílias são cadastradas, mas o cartão de saque do beneficio acabam caindo nas mãos de terceiros.
O caso mais recente, descoberto esta semana chama ainda mais atenção. Há indício de fraude na execução do programa em Codó. A situação, apesar de está sob investigação policial, ficou mais evidente depois que a técnica em enfermagem, Francisca Celma Santana Gonzaga descobriu que estava cadastrada no programa desde o ano de 2006 e no ano passado teve os dados cadastrais atualizados na Secretaria de Assistência Social, onde segundo ela, nunca esteve.
“Fizeram no ano passado, não sei como, mas fizeram, eu acho que deve ter alguém lá de dentro da Ação Social, né? Com certeza, porque eu não apareci lá, não levei documentação e tá atualizado. E esses dados estão corretos? Corretíssimos. Data de nascimento, nome do meu pai, da minha mãe, das minhas filhas, endereço, tudo! Tudo“, disse Celma
Celma estava morando no Estado do Pará e retornou recentemente para a casa dos pais em Codó, depois de ter sido dispensada do serviço que prestava como técnica em enfermagem em Tucuruí. Em Codó, ela resolveu dá entrada no processo de requisição do Seguro Desemprego e ao solicitar o Cartão Cidadão, da Caixa Econômica teve a grande surpresa.
“Eu fui fazer a solicitação de um cartão cidadão para receber minhas parcelas do seguro desemprego, no momento em que eu estava fazendo essa solicitação a moça me informou que eu poderia ta sacando essas parcelas pelo cartão Bolsa Família que seria a mesma coisa. Eu falei pra ela que não, que eu não participava do programa e ela disse que sim que eu estava cadastrada e que estava atualizado e inclusive o pagamento seria no dia 23, que foi no dia 22 que eu fiz a solicitação”, disse.
Outro detalhe é que o Governo estava depositando mensalmente o valor de R$ 706,00 referente ao pagamento do benefício onde constam nove pessoas representadas por ela. Celma revelou que duas são suas filhas, mas os demais que aparecem como parentes, ela nunca viu nem tem informação de quem sejam.
“No cadastro tem duas pessoas que é minhas filhas mesmo que já são até de maior que são as duas primeiras Beatriz e Alana são minhas filhas, os outros demais eu não conheço, não é ninguém da minha família, nunca nem tinha visto falar no nome. Eu me assustei, eu passei até mal na hora que eu recebi essa noticia, por que quem que ta recebendo esse dinheiro? Tem alguém recebendo, com certeza“, revelou.
Como não havia nada que a impedisse de sacar a parcela de julho/2014, Celma foi à Caixa Econômica e a gerente a orientou a retirar o dinheiro e em seguida, cancelou o cartão já que a mesma não tem filhos em idade de cobertura pelo Bolsa Família. Na Agência da Caixa, a gerente Maisa, não quis dá esclarecimentos à imprensa sobre o caso. Na delegacia, o delegado Zilmar Santa, responsável pela investigação falou que a Polícia Civil vai trabalhar para identificar os autores da fraude.
“A polícia iniciou uma investigação a pá dos dados fornecidos pela vítima e de outros obtidos junto ao gestor do Bolsa Família aqui no município. é uma investigação trabalhosa, mas nós acreditamos que chegaremos à autoria do fato. A gente tem primeiramente que coletar esses dados tanto bancário, quanto do gestor pra daí iniciar uma investigação e pra identificação dos autores dessa fraude“, disse Zilmar.
O delegado, assim como o gestor do programa, informou que casos semelhantes já estão sendo investigados pela Polícia. “Essa é uma fraude que temos notícia que ocasionalmente vem correndo aqui no município, a fraude constituindo a inserção de dados falsos no sistema do Bolsa Família. Não é apenas uma apropriação do cartão, mas sim, a criação de um cadastro com dados falsos“, concluiu o delegado.

Juiz Maranhense participa de debate no programa Na Moral, da TV Globo

O juiz maranhense Douglas de Melo Martins, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), foi um dos participantes do programa Na Moral, da TV Globo, exibido nesta quinta-feira (24). Com o tema Justiça Brasileira, o programa conduzido por Pedro Bial também contou com a participação do juiz Fabio Uchoa, da 1ª Vara de Execuções Penais do Rio de Janeiro. Questões como a redução da maioridade penal e as prisões completamente lotadas do Brasil dividiram as opiniões dos dois magistrados e motivaram um acalorado debate.
Durante o programa, Pedro Bial relembrou os recentes casos de linchamento e barbáries em manifestações para discutir se o brasileiro, que sempre teve reputação de ser um povo pacato, decidiu agora que vale fazer justiça com as próprias mãos.
“Falar é de graça, mas tem gente voltando a certas ideias como a de que bandido bom é bandido morto. Tamanha é a descrença no Brasil, que brasileiro acha que vale a pena fazer justiça com as próprias mãos. A questão de hoje é prender demais ou prender de menos?”, questionou Bial, ao incitar o debate.
Ao responder o questionamento, o juiz Fabio Uchoa disse que o Judiciário tem uma parcela de culpa muito grande por essa onda de violência porque na parte criminal, por uma série de razões, não está cumprindo seu papel social que é julgar, se for o caso condenar, e com efetividade nas suas decisões.
O juiz Douglas Martins apresentou opinião divergente do colega. “O Ministério da Justiça divulga que há 550 mil pessoas em presídios e divulga o Brasil como a quarta maior população carcerária do mundo. Acho até que as pessoas pedem mais prisão como forma de resolver um anseio que é legítimo, que é ter uma sociedade mais segura, só que o Brasil aumenta todos os anos sua população carcerária, nós temos mais 30 mil presos ao ano no país, e nosso país não melhora, a segurança pública não será resolvida com mais prisão”, replicou o juiz Douglas Martins. 
O juiz Fabio Uchoa defendeu ainda a opinião de que o país precisa prender mais. “O doutor Douglas acabou de mencionar que o Brasil tem 550mil pessoas presas. Mas se forem levar em consideração os números de crimes que são praticados a cada dia, mês e ano por todo o país, esse número é muito pequeno. Está faltando mais efetividade nas prisões”.
Segundo Douglas de Melo, prender não resolve os problemas da criminalidade. “Não concordo com absolutamente nada. A gente reduz tudo à prisão. Temos mais de 150mil pessoas presas no país só por tráfico. Se prender as pessoas tivesse esse efeito intimidador, não teria mais tráfico no Brasil. Se prender mais pessoas resolvesse o problema da criminalidade do Brasil o País já seria o mais seguro do mundo”.
“A gente fala muito em impunidade, só que nunca se prendeu tanto. De políticos graúdos a ladrões pés-de-chinelo. As nossas prisões estão abarrotadas. A gente tem mais de 500mil presos espremidos em espaços que deveriam conter 300 mil”, disse Pedro Bial.
Ao ouvir o dado comentado pelo apresentador, o juiz carioca argumentou, levantando um novo debate: “Não sei também quais são os parâmetros que disseram que a acomodação é para 300. Quais foram os cálculos de metragem que fizeram?”.
Douglas então respondeu ao juiz e foi aplaudido pela plateia: “Esses dados são oficiais. A população paga para cada vaga dessas R$ 50 mil e a manutenção de cada preso custa R$ 3 mil por mês”, finalizou. 
Redução da maioridade penal
Outra discussão levantada pelo programa foi sobre a redução da maioridade penal, mostrando uma pesquisa recente que aponta que 92,7% dos brasileiros são a favor da mudança da idade de 18 para 16 anos.
De acordo com o juiz Fabio Uchoa, a solução jurídica seria substituir as medidas socioeducativas do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) por medidas de segurança impostas pelo juiz. O juiz Douglas discordou: “nós não pensamos em soluções para que a nossa juventude não cometa crimes”. E completou: “nosso sistema carcerário desumano, que a população apoia, é que fomenta a criminalidade”.
Violência
Também participaram do programa Na Moral a estudante Mickhaila Copello, que ficou conhecida por defender um ladrão que estava sendo linchado no bairro da Freguesia, no Rio de Janeiro, no começo do ano, e Ângelo Castilho, morador do Flamengo, também no Rio, que criou a página ‘Reage, Flamengo’ em uma rede social para defender o bairro.
O programa mostrou ainda a história de Teresa de Jesus, que teve seu marido condenado e morto em uma rebelião na penitenciária no Maranhão, poucos dias após ser preso. 
Réu primário, o borracheiro Elson foi preso em regime semiaberto, mas acabou decapitado dentro do presídio. Sobre o caso, o juiz Uchoa admitiu que Elson foi vítima do Estado.
Ao questionar ‘será que perdemos de vista a noção de presídio para ressocialização?’, Bial mostrou um caso de regime prisional mais humano: a experiência da Associação de Proteção e Assistência aos Condenados (Apac). 
A trilha sonora do Na Moral ficou por conta da banda Titãs que, além de participar ativamente da discussão, cantou clássicos como ‘Desordem’, ‘Mensageiro da Desgraça’ e ‘Bichos Escrotos’.